Tropicalismo: Movimento que mudou a cultura brasileira

Por Thaís Constante

No final da década de 1960, nasceu no Brasil um movimento musical que rompeu e estremeceu a música popular e a cultura brasileira: o Tropicalismo. Frequente em outras esferas culturais de expressões artística, o movimento foi responsável pela modernização da arte produzida no país. Teve seu  início no Festival de Música Popular realizado em 1967, pela TV Record.

Os idealizadores do movimento foram os cantores e compositores Caetano Veloso e Gilberto Gil, com participações de GalCosta, do cantor da banda Mutantes, Tom Zé, Rogério Duprat, Nara Leão e os letristas José Carlos Capinan e Torquato Neto. Teve também o artista gráfico, compositor e poeta Rogério Duarte. Carmen Miranda foi uma das influências do movimento tropicalista. Ícone da cultura popular, sua figura era relacionada a uma imagem estereotipada, ressaltando o país tropical. A cantora tornou-se um dos ícones tropicalistas, estando presente nas letras das músicas, e nas imitações dos gestos da artista, como o torcer das mãos e o revirar dos olhos.

O tropicalismo teve grande influência da cultura pop brasileira, da cultura internacional e de correntes de vanguarda. As letras das músicas possuíam um tom poético, elaborando críticas sociais e abordando o quadro crítico e complexo do país de uma forma inovadora e criativa. Os artistas compuseram canções que foram marcantes para diferentes gerações. Dialogavam com poesias concretistas, elevando as composições tropicalistas ao status de poesia.

O movimento inovou ao possibilitar um sincretismo entre vários estilos musicais como, por exemplo, rock, bossa nova, baião, samba, bolero, entre outros. O som da guitarra elétrica convivia com violinos e com o berimbau. Era o resgate do Movimento antropofágico de Oswald de Andrade aliado a um retorno às raízes das tradições nacionais.

O movimento tropicalista transformou não só a música e a política, mas também a moral e o comportamento da sociedade. Os artistas caracterizavam-se pelo excesso. Usavam roupas coloridas e cabelos compridos, assimilando-os a cultura hippie. Mas eles tinham a intenção de chocar o público, e por meio de performances no palco, protestavam contra a música brasileira conservadora. Esse rompimento aprofundou o contato com formas populares ao mesmo tempo em que assumiu atitudes experimentais para a época.

Vários discos foram produzidos, como a obra coletiva Tropicália ou Panis et Circensis e os primeiros discos de Caetano Veloso e Gilberto Gil. Esses discos contam com vários clássicos, como as canções-manifesto “Tropicália”, de Caetano Veloso e “Geleia Geral”, de Gilberto Gil e Torquato.

O Tropicalismo durou pouco mais de um ano e acabou reprimido pelo governo militar. Durante a temporada na boate carioca Sucata, ocorreu o incidente da bandeira nacional, que , no entender dos militares que governavam o Brasil, fora desrespeitada. No espetáculo, a bandeira foi pendurada no cenário, com a descrição “Seja Marginal, Seja Herói”. Os militares alegaram ainda que Caetano teria cantado o Hino Nacional com versos ofensivos às Forças Armadas. Em dezembro de 1968, Gilberto Gil e Caetano Veloso foram presos, dando fim ao movimento. A cultura brasileira ficou marcada para sempre pela descoberta da modernidade.

40 anos do Tropicália ou Panis Et Circensis

Os principais representantes do tropicalismo foram:

Os discos tropicalistas que mais fizeram sucesso foram:

  • TROPICÁLIA ou PANIS ET CIRCENCIS – 1968 – Mutantes
  • CAETANO VELOSO – 1968
  •  LOUVAÇÃO – 1967 – Gilberto Gil
  •  A BANDA TROPICALISTA DO DUPRAT – 1968 – Rogério Duprat

Músicas tropicalistas que fizeram sucesso:

Tropicália (Caetano Veloso, 1968)

Alegria, Alegria (Caetano Veloso, 1968)

Panis et Circencis (Gilberto Gil e Caetano Veloso, 1968)

Atrás do trio elétrico, (Caetano Veloso, 1969)

Cadê Teresa (Jorge Ben, 1969)

Aquele abraço (Gilberto Gil, 1969)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: