João Figueiredo

Presidente João Figueiredo

Por Katherine Silveira

João Baptista de Oliveira Figueiredo foi um geógrafo, político e militar brasileiro nascido no Rio de Janeiro em 15 de janeiro de 1918. Filho do General Euclides de Oliveira Figueiredo e de Valentina Figueiredo, mudou-se com a família para o Rio Grande do Sul e aos 11 anos obteve o primeiro lugar num concurso para o Colégio Militar de Porto Alegre. Seu pai se opôs à Revolução de 1930 e, por esse motivo, foi preso em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Nesse mesmo ano, sua família voltou para o Rio de Janeiro e Figueiredo foi transferido para o Colégio Militar do Rio de Janeiro. Em 1932, seu pai participou e liderou a Revolução Constitucionalista de São Paulo, pretendendo derrubar a ditadura de Vargas. Derrotado o movimento, seu pai foi preso e exilado, e por isso, João viveu no exílio na Argentina entre 1932 e 1934. Casou-se com Dulce Figueiredo em 1942 e tiveram dois filhos.

Apontado pelo então presidente Ernesto Geisel como seu sucessor, Figueiredo foi eleito Presidente da República pelo Colégio Eleitoral em 15 de outubro de 1978. Vitorioso, prometeu a “mão estendida em conciliação” jurando fazer “deste país uma democracia”. Foi o último presidente da ditadura militar no Brasil e deu continuidade à abertura política iniciada por seu antecessor. Logo que assumiu a presidência, concedeu a anistia geral aos políticos cassados. Seu governo foi marcado pelo início da transição para o sistema democrático, restabelecimento do pluripartidarismo (sistema que permite a existência de vários partidos políticos), das eleições diretas para governadores dos estados e pela crise econômica, greves e protestos sociais. Porém, os militares integrantes da ala mais radical chamada de “linha dura” não estavam satisfeitos com o processo de democratização pelo qual o Brasil estava passando. Eles passaram então a promover ataques forjados para atribuir a culpa aos militantes de esquerda e, assim, tentar justificar a necessidade da manutenção da ditadura. O mais conhecido dos ataques foi o atentado ao Riocentro.

João Figueiredo, ao meio, o último presidente militar

João Figueiredo, ao meio, o último presidente militar

Assim que assumiu, encontrou a economia brasileira em uma delicada situação. O país havia saído do “milagre econômico” de Médici e agora vivia as consequências de uma política de empréstimos que tentou sustentar a economia. A crise que se estendia já por alguns anos gerou impactos também na política e aumentou a insatisfação do povo com o regime militar. A crise do petróleo em 1979 desencadeou uma nova crise, favorecendo o aumento das taxas de juros internacionais e a disparada da inflação ao longo de seis anos. Foi neste momento que a dívida externa do Brasil passou da marca dos 100 bilhões de dólares, obrigando o país a solicitar auxílio ao Fundo Monetário Internacional em 1982. Mesmo assim, Figueiredo conseguiu que o Brasil saísse da recessão em seu último ano de governo e gerasse um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) superior a 7%. A elevação dos índices de exportação e a maior independência do mercado interno, especialmente em relação ao petróleo, fizeram com que a condição externa do Brasil atingisse relativo equilíbrio.

Foi ainda no governo de João Figueiredo que ocorreu uma das maiores movimentações populares da história do Brasil, as Diretas Já. Influenciado por um projeto de lei do deputado Dante de Oliveira que propunha a eleição direta para presidente, o povo foi para as ruas em vários lugares do Brasil para exibir seu apoio. Entretanto, quando o projeto foi votado no Congresso, saiu derrotado.

No final do governo de João Figueiredo, seu sucessor foi escolhido por eleição ainda indireta pelo Colégio Eleitoral, que elegeu Tancredo Neves. A ditadura militar chegava ao fim. O ex-presidente viveu os seus últimos catorze anos de vida num apartamento em São Conrado, no Rio de Janeiro, até ser vítima de problemas cardíacos e renais em 24 de Dezembro de 1999.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: